top of page
  • Foto do escritorFoccus Consultoria

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS: O QUE É, QUAL A IMPORTÂNCIA E COMO IMPLEMENTAR?



Em um mercado altamente competitivo, em que o capital humano é um dos maiores diferenciais das organizações, tornou-se fundamental elaborar ações capazes de motivar e valorizar os colaboradores que apresentam bons resultados e trabalham com dedicação. Uma ferramenta eficaz, nesse sentido, é o plano de cargos e salários, que mostra de forma clara as possíveis promoções, os meios e o tempo para alcançá-las.


Essa abordagem tem se tornado um grande diferencial estratégico para as empresas conseguirem se destacar. Afinal, grandes profissionais buscam, cada vez mais, empresas que valorizem o seu trabalho e criem planos de futuro para sua área e cargo. Ao ter em mente para qual sentido progredir nos próximos meses e anos, é comum que os colaboradores se sintam incentivados a crescer profissionalmente para ele mesmo, com a equipe e a empresa como um todo.


Quer saber como estruturar um plano de cargos e salários em sua gestão? Continue a leitura e descubra!

O que é plano de cargos e salários?

De modo geral, o plano de cargos e salários é o documento que expõe cada posto de trabalho, com suas respectivas funções e perfis profissionais, além dos salários correspondentes. Neste documento, contém também as regras de ascensão dentro da organização, assim como sua política salarial previstas de forma clara e transparente.


De maneira simplificada, existem empresas que denominam níveis de atuação que são definidos levando em consideração fatores como formação e experiência, e são chamados de júnior, pleno e sênior. Nesse caso, é justamente no plano de cargos e salários que contém os critérios para definir experiências e habilidades profissionais para avançar os níveis.


Com essa abordagem, não há o risco de pessoas com o mesmo cargo receberem valores diferentes, além de dar maior transparência ao processo de hierarquia organizacional, bem como a questão de pagamento.


Pode-se dizer, portanto, que o plano de cargos e salários é uma ótima forma de fazer com que os colaboradores entendam o funcionamento da organização empresarial, bem como a sua importância e função dentro da empresa.

Qual a importância do plano de cargos e salários?

O plano de cargos e salários é de suma importância para a organização pois promove igualdade e justiça entre os trabalhadores, já que garante transparência nos processos de promoção e aumentos salariais, por exemplo. Com isso, o profissional tende a se sentir mais seguro sobre as suas atribuições e oportunidades de desenvolvimento profissional.


Com uma política de remuneração justa, adequada e transparente, os colaboradores se sentirão naturalmente motivados a se dedicarem cada vez mais para atingirem objetivos específicos, e com isso a empresa ganha em produtividade.


O plano de cargos e salários também auxilia no processo de atração e retenção de talentos, pois mostra aos candidatos que a empresa tem uma política consistente de gestão de pessoas e que, por conta disso, ainda terão oportunidades de ascender suas carreiras dentro da empresa.


Além disso, a elaboração do plano de cargos e salários também facilita o planejamento financeiro, uma vez que está diretamente ligado à tomada de decisões de promoções e contratações de novos colaboradores, dentre outros fatores. Por esse motivo, as orientações do plano torna mais assertiva a tomada de decisão.


Como montar e implementar um plano de cargos e salários?

Os profissionais da área de recursos humanos, devem antes de tudo, ter em mente que esse plano deve estar em bom alinhamento aos aspectos culturais e políticos da empresa em questão.

De todo modo, o plano de cargos e salários pode ser estabelecido seguindo as etapas listadas abaixo:



1. Organização e planejamento

Antes de tudo, é preciso coletar informações sobre o funcionamento da empresa, o que engloba políticas, procedimentos, remuneração atual, mercado concorrente, disposições sindicais, aspectos estratégicos e administrativos.


Com esse panorama estabelecido, é importante convocar uma reunião com os gestores e mostrar tais informações. Questione quais são os cargos de maior importância para a empresa e se novas oportunidades podem ser criadas a médio ou longo prazo.


A partir da discussão, elabore um plano de ação resistente e que supra as necessidades da empresa. Certifique-se que esse planejamento garanta que o programa não se torne obsoleto, mas, sim, um norteador de crescimento do negócio.

2. Divulgação da elaboração do processo

É preciso a participação e o comprometimento de toda a equipe no processo de implementação do plano de cargos e salários, como uma forma de harmonizar as expectativas dos funcionários com as reais possibilidades. Pode-se convocar uma reunião geral ou mesmo tornar o processo transparente à todos e deixando-o aberto à sugestões. É uma maneira de escutar feedbacks e ter insights sobre itens pertinentes que podem ser levados em consideração.


Nesse sentido, a comunicação interna pode desempenhar uma função útil. Para ajudar na divulgação, pode-se optar por ações como a publicação do documento na internet, envio de e-mails informativos ou por meio de um comunicado no mural de avisos.


Já para profissionais recém-contratados na empresa, o ideal é que saibam da existência do plano de carreira e salários logo no início da função. Isto pode ser feito na própria entrevista de emprego por meio de panfletos explicativos ou por um e-mail de boas-vindas, sinalizando para o profissional aspectos importantes sobre a cultura da empresa.

3. Atribuição e descrição dos cargos

Um dos passos mais importantes é identificar todos os cargos existentes na empresa, e descrever e documentar as funções de cada um. Isso pode ser feito através de entrevistas ou questionários para o levantamento dessas informações.


Inclusive, essa definição de habilidade e competências de cada cargo e área é importante para montar um mapeamento de competências que, futuramente, pode ser usada para uma avaliação de desempenho.


A partir daí, será necessário criar uma matriz com as especificações, competências e habilidades necessárias ao desempenho de cada função. A partir disso, cada colaborador saberá o que o cargo faz, como se faz, e para que se faz.


Um documento que contenha essas informações dará a percepção de maior transparência para todos, o que irá contribuir positivamente até mesmo para os processos de seleção, tornando-os muito mais simples e intuitivos.

4. Avaliação e classificação dos cargos

No plano, os cargos devem ser empregados em ordem alfabética para uma gestão mais inclusiva e não hierarquizada. Essa estratégia evita uma ideia de superioridade entre cargos mais altos e os demais, fazendo com que o clima organizacional seja afetado negativamente com uma gestão hierárquica.


Além disso, ainda que esse modelo de superioridade entre cargos seja ideal para designar tarefas aos funcionários e departamentos, pois cada um tem responsabilidades bem definidas, uma desvantagem é que são dependentes de ter um líder forte no topo. Ou seja, se a gestão não é forte, todas as estruturas hierárquicas podem se frustrar por uma má decisão tomada pelo superior.


Ao mesmo tempo, essa abordagem faz com que os profissionais tracem com mais facilidade o caminho a ser percorrido, possíveis promoções durante sua carreira e o tempo necessário para alcançá-las.


Logo, o ideal é testar qual abordagem é a ideal para a realidade da sua empresa e como os colaboradores se comportam em relação a tal.

5. Pesquisa salarial

O próximo passo é realizar uma pesquisa salarial com o objetivo de comparar a remuneração oferecida pela empresa com a praticada nos principais concorrentes. É importante pontuar que a pesquisa deve levar em conta organizações atuantes na mesma região, que trabalham no mesmo ramo e possuam o mesmo porte, para manter um equilíbrio em relação aos preços praticados pelo mercado.


A análise deve levar em conta também os investimentos, tais como as oportunidades de desenvolvimento que serão oferecidas aos colaboradores.


Com a perspectiva geral do mercado, a empresa tem a oportunidade de se diferenciar positivamente de seus concorrentes, a partir da construção de uma imagem de valorização de seu funcionário e de um ambiente de trabalho saudável que está atento às novas tendências do mercado.

6. Matriz salarial

Agora é a hora de conciliar a avaliação de cargos com os resultados da pesquisa salarial, para estabelecer os valores das faixas salariais para cada cargo da empresa, a chamada matriz salarial.

Nesse caso, é importante levar em conta que o sistema de remuneração poderá ser composto por:

  • Salário base – corresponde ao salário fundamental, sem o acréscimo de importâncias fixas ou variáveis com as quais se completa a remuneração global dos empregados, ou seja, o valor definido no contrato;

  • Remuneração – representa o somatório dos valores correspondente ao nível salarial, acrescido dos adicionais e vantagens recebidas pelo empregado.

Para isso, é necessário entender os detalhes sobre cada regime de contratação como CLT, PJ, estágio e menor aprendiz.

7. Cálculo dos impactos da política salarial

Com a matriz salarial estabelecida, é hora de computar os custos envolvidos na implantação de todo o plano de cargos e salários e também de sua estratégia. Leve em conta, nesse momento, o equilíbrio orçamentário da empresa e suas condições financeiras atuais.


Basicamente, será necessário analisar uma maneira de harmonizar a implantação da estratégia, que, inclusive, nesse momento, certamente está bem estruturada, com o plano de crescimento dos negócios de médio e longo prazo.

8. Documente as informações em uma planilha

Após seguir todas essas etapas, certamente a empresa terá um conjunto de normas, procedimentos e ações que definem as atribuições de cada colaborador, a remuneração adequada e os meios para ascensão de carreira.


Com tantas informações importantes, certifique-se se está tudo registrado de maneira apropriada. O ideal, na verdade, é elaborar uma planilha com todo o material reunido durante a pesquisa.


É importante que esse documento contenha detalhes das funções, cargos, níveis, quantidade de funcionários exercendo cada função e seus respectivos salários, assim como as características necessárias para promoções. Uma boa recomendação é utilizar gráficos para ter panoramas gerais de todas as informações cadastradas.


Não se esqueça de salvar na nuvem, imprimir cópias físicas e guardar com segurança, pois as informações desta planilha serão as melhores norteadoras para ações que visam o desenvolvimento da empresa.

9. Divulgue o material

Assim como o início do projeto foi divulgado, é fundamental divulgar o documento de plano de cargos e salários aos colaboradores, esclarecendo todo o processo de ascensão de carreira, como todo o procedimento foi definido e como isso seria proveitoso para todos.


É muito importante tirar todas as dúvidas dos colaboradores em relação a isso, tornando todo o processo transparente e praticável para todos. Isso pode ser feito por meio de comunicados por e-mails, reuniões ou mural informativo.

Conclusão

O plano de cargos e salários consiste na definição das atribuições, deveres e responsabilidades de cada cargo e, consequentemente, os seus respectivos níveis salariais.


Essa abordagem faz com que os colaboradores se sintam mais motivados e comprometidos pois irão enxergar perspectivas de crescimento dentro da empresa.


O plano também fortalece o clima organizacional da empresa e ajuda o RH na hora da tomada de decisões.


Gostou do conteúdo? continue acompanhando nossa posts!

22 visualizações0 comentário

TENHA UMA CONSULTORIA PERSONALIZADA PARA SUA EMPRESA.

bottom of page